Associações Carnavalescas

Embora a primeira referência ao Carnaval de Torres Vedras remonte ao século XVI, foi nos anos 20 do século XX que este acontecimento começou a ganhar forma com a constituição de uma comissão que ficou responsável por organizar os festejos de rua. Os Reis do Carnaval, que surgiram nos anos 20 do século XX, e as Matrafonas, que apareceram nos anos seguintes, marcaram em definitivo a história do Carnaval da cidade.

O Carnaval de Torres Vedras assumiu desde o início um carácter espontâneo que convidava toda a população a participar na festa. A dinâmica associada ao evento levou a que ao longo dos anos fossem surgindo várias associações carnavalescas que na sua génese tinham como objetivo preservar a identidade do Carnaval torriense.

Atualmente existem cinco associações carnavalescas registadas que criaram as suas próprias tradições e costumes. Sempre vestidos a rigor, estes grupos são presença assídua em todos os momentos-chave do Carnaval mais português de Portugal.

 

  

Ministros e Matrafonas 

No final dos anos 70, um grupo de amigos começou a reunir-se para preparar o Carnaval seguinte. Foi numa dessas reuniões, em 1986, que surgiu a ideia de criar a Associação Ministros & Matrafonas, que foi constituída formalmente já na década de 90.

Caracterizados com fatos masculinos que lembram as cortes europeias do século XVIII e fatos de dama antiga, os Ministros e as Matrafonas desfilam de braço dado pelo Carnaval mais português de Portugal.

A Associação tem como objetivo promover e dinamizar o Carnaval de Torres Vedras, participando nas principais atividades que integram este evento. E porque a folia característica desta festividade deve ser vivida por todos, o grupo organiza ainda atividades em lares do Concelho.

A sede social, localizada no centro histórico da cidade, é um local de visita obrigatória para quem quer conhecer um pouco da história e do registo fotográfico do Carnaval torriense.

  

Nome: Associação Ministros & Matrafonas

Fundação: Década de 90

Nome do presidente da Direção: Júlio Martins

Elementos simbólicos identificativos: Logótipo, Matrafonas com fatos de dama antiga e Ministros com fatos que lembram as cortes europeias do século XVIII

Número de Membros: 105

Localização da sede: Rua de Trás do Açougue, n.º11 A-B, Torres Vedras

Contacto: ministros.matrafonas@gmail.com

  

  

Real Confraria do Carnaval de Torres

A Real Confraria do Carnaval de Torres assume-se como sendo a legítima herdeira da extinta Comissão de Carnaval. Após o surgimento da empresa municipal Promotorres, que assumiu a organização do evento, os membros dessa Comissão decidiram criar uma Confraria de forma a salvaguardar a identidade e as tradições do Entrudo torriense.

A Associação tem como objetivo central promover a imagem do Carnaval de Torres Vedras, preparando cada Carnaval e mantendo a sátira e a espontaneidade que lhe são características. Para alcançar esse objetivo, nos seus Estatutos propõe-se a organizar várias atividades associadas ao Carnaval, a apoiar o estudo e divulgação de trabalhos sobre o mesmo, a glorificar as virtudes, tradições e história do Entrudo torriense, a defender a genuinidade, tipicidade e prestígio do Carnaval local e a procurar apoios para o surgimento, promoção e manutenção do Museu do Carnaval de Torres Vedras.

 

Nome: Real Confraria do Carnaval de Torres

Fundação: 11 de novembro de 2005

Nome do presidente da Direção: António Miranda

Elementos simbólicos identificativos: Penico, traje (barretina, colete e capa), brasão e estandarte

Número de membros: 80

Localização da sede: Rua Tenente Valadim, n.º17 - 1º, Torres Vedras

Contacto: confrariacarnavaltorres@gmail.com

 

 

Lúmbias Grupo Carnavalesco

Numa saída de amigos até à Queima das Fitas de Coimbra, surge a ideia de uma máscara de Carnaval de estudante universitária. No ano 1998, esta foi a primeira máscara usada pelas Lúmbias Grupo Carnavalesco.

Oficialmente constituída em 2005, a associação manteve-se fiel ao Carnaval de Torres Vedras e à peruca loira que ao longo de 20 anos esteve sempre presente na caracterização usada pelo grupo.

Os objetivos da Associação são a promoção, divulgação e defesa da tradição carnavalesca de Torres Vedras, tendo como maior inspiração a mítica imagem da Matrafona.

A presença no Carnaval de Torres Vedras é a maior e principal atividade desenvolvida pela Associação, que organiza ainda anualmente um passeio todo-o-terreno.

 

Nome: Lúmbias Grupo Carnavalesco

Fundação: 2005

Nome do presidente da Direção: Ricardo Silva

Elementos simbólicos identificativos: Matrafona loira e uma galinha (Jurema)

Número de membros: 92

Localização da sede: Antigas instalações do Atlético Clube Barroense, Barro

Contacto: lumbias@lumbias.com

 

  

Associação Carnavalesca As Marias Cachuchas 

Em 2011, três amigas decidiram formar um grupo oficial ligado ao Carnaval de Torres Vedras e assim nasceu a Associação Carnavalesca As Marias Cachuchas. Esta foi a primeira associação do género criada por mulheres, que tem entre os seus membros tanto mulheres como homens.

A Maria Cachucha, uma torriense que viveu entre 1900 e 1960 e que se vestia com roupa masculina e tinha bigode, foi a grande inspiração para o disfarce deste grupo, que é composto por um lenço e um bigode.

Com o objetivo de divulgar e promover o Carnaval de Torres Vedras, As Marias Cachuchas desenvolvem ao longo do ano várias atividades que envolvem a comunidade. Em 2012, a associação promoveu uma ação de distribuição de cocotes nos corsos diurnos, com objetivo de reintegrar este elemento que foi substituído pelo cubo nas Batalhas de Flores.

 

Nome: Associação Carnavalesca As Marias Cachuchas

Fundação: 14 de junho de 2011 

Nome do presidente da Direção: Sara Silvestre

Elementos simbólicos identificativos: O Cocote, o bigode e o lenço

Número de membros: 60

Localização da sede: Barro

Contacto: mariascachuchas@gmail.com

 

  

Fidalgos do Carnaval de Torres Vedras 

A associação Fidalgos do Carnaval de Torres Vedras foi criada em 2006 na sequência de um convite dos então novos Reis do Carnaval, que pretendiam reunir um grupo de amigos mais chegados para os acompanhar nas suas diversas atividades carnavalescas.

Constituída formalmente em 2017, a associação tem como principal objetivo promover e divulgar o Carnaval torriense, através da participação nas ações desenvolvidas pela organização, como a apresentação do Carnaval, a Chegada dos Reis, os corsos e Enterro do Entrudo. Nestas ocasiões o grupo apresenta-se sempre vestido de branco com um chapéu preto na cabeça.

A associação vai ainda participar no projeto Polo Social e Cultural, que está a ser desenvolvido pela Câmara Municipal de Torres Vedras e prevê a implementação de ações de cariz sociocultural apostando na criatividade, inovação e inclusão social.

 

Nome: Fidalgos do Carnaval de Torres Vedras

Fundação: 11 de fevereiro de 2017

Nome do presidente da Direção: Nuno Bona

Elementos simbólicos identificativos: Fatos brancos

Número de membros: 27

Localização da sede: Rua 1º de Dezembro n.º 33-A, Torres Vedras

Contacto: fidalgostvd@gmail.com